Frio – Cobertor?

frio

Já escrevi e apaguei diversas vezes, sei exatamente o que quero falar, mas não consigo dizer. A busca por um café é inevitável, meu relógio marca 00:22 e eu estou longe de ir para os braços de Morfeu.
Ficou frio por aqui, eu busquei outonos, mas só havia inverno. Pedi o brilho de Nix todos esses dias, busquei de todas as formas me desprender dessa angustia absurda que existia aqui e tudo que me vinha a cabeça eram os 18’s.
Será que tu és tão impiedosa a ponto de não se importar? Não te dei o direito de me levar Nix e me deixar aqui achando que eu só podia contar com Dionísio. Teu papel nesse espetáculo era claro: faça-me feliz.
Mas eu esqueci que você não podia. Me deixei levar por aqueles olhos de cigana, obliqua e dissimulada, por esses lindos olhos de Capitu, e já era tarde, eu já estava de volta, sozinha e você naquele momento estava para mim descrita nas palavras de Mário Quintana: E que fique muito mal explicado, não faço força para ser entendido. Quem faz sentido é soldado.
Meus pés estavam gelados, minha cabeça queria entender todo furação que estava se formando, e meu coração, esse maldito coração imbecil só pensava nos 18’s, na essência dont walk away from me.
Em mim se abriga uma sede incessante que o vento insiste em alimentar…teu cheiro.

Hoje eu consegui ver a beleza da Nix, mas ainda sinto frio

Be happy!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s