O MAIS MÉDICO DESNUDA O RACISMO NO BRASIL!

Muitas-comunidades-ribeirinhas-isoladas-Amazonas_ACRIMA20120510_0042_18É antiga e todos nós conhecemos a história de que no Brasil alguns cursos, como o de Medicina, tem cor e classe social: brancos e ricos. Por outro lado, a população que mais precisa dos médicos também tem cor e classe social: pretos e pobres. E é nessa polarização que a conta não fecha. Mesmo que tivéssemos mais de três médicos por pessoa, dificilmente os médicos brancos e ricos do Brasil, formados nos cursos de nossas universidades iriam para cidades pequenas onde vivem pobres e negros.

O médico é diferente de um juiz, de um promotor. Este atende no gabinete, no tribunal, mantendo distância da população. Os médicos tem contato direto com a população, precisa cuidar de suas doenças, tratar de problemas que são comuns a todos os seres humanos das diferentes etnias e classes sociais, mas também nos lugares mais pobres precisam cuidar de doenças provocadas por situações insalubres, por ambientes revestidos de precariedade e de pobreza, que alguns não têm coragem de enfrentar. Por isso, mesmo com planos de carreira, médicos ricos ao contrário do que ocorre com advogados/juízes e promotores ricos, não iriam para postos de cidades pequenas, pobres e isoladas.

Mesmo com essa situação conhecida, essa realidade estava mascarada. O culpado da falta de médicos em cidades pequenas restringia-se à não prioridade do Governo para enfrentar esse problema e não à forma como a categoria dos médicos está organizada, o que prioriza e como e para que se forma.

A vinda dos médicos cubanos, com divulgação em grande escala no país colocou o Brasil Nu. O preconceito foi desnudado. A realidade cruel do racismo mascarada desde a abolição da escravidão veio à tona forte e destruidora como as fortes ondas de pororocas dos rios amazônicos.

Ao ficarem nus, alguns brasileiros profissionais da medicina (não todos) revelaram faces racistas, xenófobas e preconceito de classe. Junto com eles parte dos políticos e jornalistas conservadores e de direita se posicionaram de forma lamentável.

Para eles, o mais importante é garantir o nicho. Que se lixem os brasileiros pobres e de etnia predominantemente negra dos 700 municípios que não têm médico.
Esse desnudamento nos revela que no Brasil precisamos sim ofertar vagas de medicinas por regiões e para alunos de todas as classes sociais e etnias. Essa área tem que ser ocupada pelos brasileiros e não apenas por uma pequena parcela da elite.

Somente assim teremos médicos em todo nosso território, atendendo adequadamente a TODOS.

O Mais Médico pode ajudar muita gente a ter contato com esse profissional de medicina. Contudo para, além disso, ao desnudar o país poderá ajudar a construir mais democracia, justiça social e uma sociedade mais tolerante e aberta às diferenças sem desigualdades.

Anúncios

6 pensamentos sobre “O MAIS MÉDICO DESNUDA O RACISMO NO BRASIL!

  1. Pingback: Diane Sousa: A cor da pele e a renda dos pacientes importa - Viomundo - O que você não vê na mídia

  2. Pingback: O MAIS MÉDICO DESNUDA O RACISMO NO BRASIL! | Blog do Mauro Alves da Silva

  3. Pingback: Rômulo Gondim – A cor da pele e a renda dos pacientes importam

  4. Os médicos brasileiros precisam rever seus valores. Ganhar dinheiro, em uma sociedade capitalista, não é errado; errado é tentar preservar uma reserva de mercado que priva populações do interior do Brasil de receberem assistência médica, por mais básica que seja. Manifestações de preconceito racial contra médicos cubanos são intoleráveis em uma sociedade multiétnica como a brasileira, mais injustificáveis ainda por partirem de profissionais que não querem abandonar o conforto dos seus consultórios, localizados nas grandes metrópoles, para clinicar nos lugarejos do Brasil onde há risco de contrair dengue, malária e hepatite. Os cursos de Medicina precisam revisar a disciplina Ética a fim de que os formandos tratem o Juramento de Hipócrates com mais seriedade. .

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s